HÁ TEMPOS

1 comentário

“Mudaram as estações e nada mudou

mas eu sei que alguma coisa aconteceu.”

 

–         Moço, tem disco da Legião Urbana?

–         É claro !!!

Quando o vendedor da loja me mostrou aquele long play de capa branca, meus olhos brilhavam e minha pulsação acelerou, inocente eu ainda não tinha percebido que naquele momento, que acabara de entrar para um culto, uma religião, confesso que foi uma descoberta um pouco tardia da minha adolescência, mas naquele instante inocente, eu era mais um fã(nático) de Renato Russo.

Saí da loja correndo para pegar o próximo ônibus para casa, já não me contento de tanta vontade de escutá-lo.

Lá se foi quase duas décadas, mas para mim parece que foi ontem, as consequências ainda hoje refletem na minha personalidade, a partir do momento em que a agulha do toca-discos toca a bolacha de vinil e os acordes simples e a poesia confessionista inspirada de Renato invadiram minha mente, pareciam dizer tudo aquilo que eu estava pensando e precisando ouvir:

“quando nascemos fomos programados / a receber o que vocês nos empurraram/ com os enlatados dos U.S.A. de 9ás 6/ desde pequenos nós comemos lixo/ comercial e industrial/ mas agora chegou a nossa vez – /Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês”, o primeiro verso de geração Coca-Cola continua fazendo muito sentido quase vinte anos depois de sua gravação, mostrando que a poesia de Renato está longe de ser datada, continua atual, parece que pouco foi feito para mudar nossa situação. É só ligar a TV pra ver.

Rogério Curiel

(Texto originalmente publicado em outubro de 2003 no jornal independente Artigos Definidos)

Anúncios

Um pensamento sobre “HÁ TEMPOS

  1. eu bem me lembro dos “Artigos Definidos”… pena que foram apenas 4 edições, se não me engano.
    Arcredito que ainda tenho os exemplares guardados

    Renato Russo foi uma espécie de paladino anti-herói que salvou a muitos do limbo da ingenuidade e conformação… trouxe a publico, e em musicas, duvidas, revoltas e dilemas quotidianos que antes eram ofuscados (ignorados) pela falsa felicidade dos adolescentes New Wave da geração de 80
    Salve Renato!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s